Comunicação Complexa dos Cachalotes: Desvendando a Linguagem Baleia

Voltar para Blog

Comunicação Complexa dos Cachalotes: Desvendando os Mistérios da Linguagem Baleia

Os cachalotes, imponentes criaturas do mar, possuem sistemas de comunicação surpreendentemente complexos, que ainda não compreendemos completamente. Essa fascinante descoberta foi explorada em programas de ficção científica, como a série “Extrapolations” da Apple TV, que apresentou um cachalote-de-bossa (com a voz de Meryl Streep) discutindo as sinfonias de Mahler com um pesquisador humano por meio de um aplicativo de tradução interespécies desenvolvido em 2046. Embora ainda estejamos longe dessa realidade futurista, uma equipe de pesquisadores do MIT acaba de analisar um banco de dados de vocalizações de cachalotes do Caribe e descobriu que existe, de fato, uma estrutura contextual e combinatória nessas comunicações.

Codas: As “Palavras” dos Cachalotes

De acordo com Pratyusha Sharma, pesquisadora do Laboratório de Ciência da Computação e Inteligência Artificial do MIT e autora principal do estudo, os cachalotes se comunicam usando cliques. Esses cliques ocorrem em pacotes curtos, chamados de “codas”, que geralmente duram menos de dois segundos e contêm de três a 40 cliques. A equipe de Sharma argumenta que as codas são análogas às palavras da linguagem humana e são organizadas em sequências de codas, que seriam análogas a sentenças.

Complexidade Social e Comunicativa dos Cachalotes

Estudos observacionais anteriores revelaram que os cachalotes têm uma vida social bastante complexa, com unidades familiares formando estruturas maiores chamadas de “clãs”. Eles também possuem estratégias de caça avançadas e tomam decisões em grupo, buscando consenso sobre para onde ir e o que fazer. Apesar dessa complexidade comportamental e de relacionamentos, seu vocabulário parecia surpreendentemente escasso.

Além das 21 “Palavras”

A equipe de Sharma analisou 8.719 codas individuais registradas do clã de cachalotes EC-1, que vive nas águas do Caribe Oriental, como parte do Projeto de Cachalotes de Dominica, um estudo de longo prazo sobre esses animais. Pesquisas anteriores nesse banco de dados haviam identificado apenas 21 tipos de codas que os cachalotes usavam repetidamente. No entanto, a nova análise da equipe de Sharma revelou que essa visão estava incompleta.

“As pessoas que fizeram esses estudos anteriores estavam olhando para as chamadas isoladamente… Elas estavam anotando essas chamadas, tirando-as do contexto, embaralhando-as e, em seguida, tentando descobrir que tipos de padrões estavam se repetindo”, explicou Sharma. Sua equipe, por outro lado, analisou as mesmas chamadas em seu contexto completo, observando trocas inteiras, em vez de codas separadas.

Recursos Comunicativos Sofisticados

A pesquisa da equipe de Sharma identificou dois novos recursos comunicativos sofisticados nos cachalotes: o “rubato” e a “ornamentação”. O rubato, emprestado da música, refere-se à introdução de pequenas variações no tempo de uma peça, permitindo que os cachalotes estirem ou encolham uma coda, mantendo o mesmo ritmo. Já a ornamentação consiste na adição de um clique extra no final da coda, marcando um ponto crítico na chamada.

Combinando essas variações de ritmo, tempo, rubato e ornamentação, os cachalotes podem produzir uma grande variedade de codas, muito além das 21 inicialmente identificadas. A equipe de Sharma estimou que existem cerca de 150 codas frequentemente usadas pelos cachalotes, de um total de 540 possíveis combinações.

Conclusão: Rumo à Compreensão da Linguagem Baleia

Embora a estrutura combinatória e composicional encontrada nas vocalizações dos cachalotes se assemelhe à linguagem humana, a equipe de Sharma não determinou se há transmissão de significado nessa comunicação. Ainda há muito a ser desvendado sobre a linguagem dos cachalotes, mas essa pesquisa representa um passo importante em direção a uma melhor compreensão desses fascinantes animais e de seus sistemas de comunicação complexos.

Referência: “Do sperm whale calls share features with speech or song?”

Compartilhe esta postagem

Voltar para Blog
💬 Precisa de ajuda?